Elas hackearam o sistema

No segundo dia de Campus Party Brasil, eu tive a oportunidade de conhecer o Programa Elas, a primeira escola de liderança feminina no Brasil, cuja finalidade é ensinar as mulheres a hackearem o sistema.

Em tecnologia, o termo hackear é usado para modificações de aspectos internos de dispositivos, programas e rede de computadores, no Programa Elas, hackear significa utilizar a inteligência emocional como base para ler o ambiente, dominar as emoções, descobrir seus talentos e conquistar autoridade no ambiente corporativo.

O que é hackear o sistema? A mulher entender tão bem como o sistema funciona, a ponto de se infiltrar e influenciar este ambiente a favor dela. Carine Roos, Programa Elas, CPBR12.

De acordo com estudo da Grant Thonrton, 53% das empresas no Brasil não tem mulheres em cargo de diretoria, apenas 3% ocupam cargos de gestão e quando abrem startups, as empreendedoras recebem menos investimentos do que os homens, porém trazem quase o dobro do retorno de investimento, veja aqui.

Criado em setembro de 2017, o Programa Elas foi concebido para mudar este cenário e a realidade teórica dos grupos de discussão. Utilizando técnicas e ferramentas, o Programa Elas promove na prática, o empoderamento humano, equidade de gênero, prosperidade no processo econômico e justiça social.

As mulheres passam por um treinamento intensivo de 54 horas, uma imersão completa de aprendizado ao longo de 3 meses. A jornada é dividida em 3 módulos em uma dimensão de avaliação 360, evoluindo 57 habilidades em um ambiente exclusivo e seguro para compartilhar informações e promover a experiência de desenvolvimento comportamental das alunas. O programa também oferece mentoria e uma comunidade exclusiva para elas.

A escola tem a finalidade de ensinar as mulheres a criarem um trajeto específico para performarem em seus negócios e carreira, com mais auto-confiança, autoridade, exercendo influência e realmente assumindo uma postura diferente, com voz e capacidades emocionais extremamente importantes, fazendo com que elas tenham destaque na sociedade. Amanda Gomes, Programa Elas, CPBR12.

No trabalho corporativo, o programa foca tanto nas vivências como na certificação das funcionárias, aliando aos objetivos estratégicos das empresas. O programa realiza monitoramentos e indicadores sobre a performance das alunas e consegue adaptar a linguagem do treinamento em até 30% às necessidades específicas de desenvolvimento das mulheres.

O Programa Elas já treinou mais de 3.300 mulheres em seus workshops. E das últimas 200 que foram certificadas no programa completo de 54 horas, mais de 30% foram promovidas ou tiveram aumento salarial em menos de 1 ano. O retorno do investimento é de curto e longo prazo e o Programa Elas atende clientes como Ambev, Bradesco, Santander, Accenture, Regus e o Facebook.

A teoria da mudança estimula o crescimento das mulheres, as libertando da necessidade de serem perfeitas. O estímulo de várias perspectivas, arriscar, integrar, resignificar e focar no resultado. Carine Roos, Programa Elas, CPBR12.

O Programa Elas é uma iniciativa das empreendedoras Carine Roos e Amanda Gomes. Se você quiser conhecer o trabalho do Programa Elas, visite o site. Para seguir as redes sociais: Facebook: @programaelaslideram Instagram: @programa_elas Linkedin: @programaelas e no canal do Youtube.

  • Últimos Posts
,
Fundador da ZionLab e do Jornal 140, empresário digital, growth hacker, blogueiro e apreciador da história. #startups #digital #comunicação #empreendedorismo
×
,
Fundador da ZionLab e do Jornal 140, empresário digital, growth hacker, blogueiro e apreciador da história. #startups #digital #comunicação #empreendedorismo
Latest Posts

Deixe uma resposta