Smarthome, uma casa chamada robô

Fica cada vez mais clara a estratégia das grandes plataformas e desenvolvedores, como o Google e a Apple, de ampliar a presença das marcas dentro das residências dos usuários com a oferta não de produtos e serviços e sim de soluções “smart”. Começou com os smartphones, evoluiu para as smarTVs e, bingo, agora temos as novas smart homes.

O Google anunciou ontem em Mountain View durante o I/O Live 2019, encontro anual com desenvolvedores, a sua nova central inteligente para “smart homes”, chamado de Nest Hub Max. E aqui no Brasil, alguns usuários do Google Home receberam, também ontem, um email da empresa apresentando o Google Nest (aqui).

Vale lembrar que em 2014 o Google comprou a Nest por 3,2 bilhões de dólares e muitos investidores acharam que seus gestores tinha enlouquecido por causa do evaluation de uma pequena empresa cujos principais méritos tinham sido desenvolver um simples termostato e um dispositivo identificador de fumaça de cigarro.

Agora a estratégia do Google mostra a que veio: o futuro, ou parte dele, inclui as smart homes e o nome da empresa que conduzirá os cidadãos a estas novas . Estas unidades habitacionais serão cada vez mais conectadas e sensíveis a interações entre o humano e a máquina. A oferta do Nest inclui produtos como o termostato, cameras, assistente pessoal, campainhas, alarmes, fechaduras e detetores de fumaça e o recém lançado Nest Hub, um super assistente pessaoal que funciona como uma central de inteligência que consegue interagir com os usuários em diversas dimensões, incluindo com reconhecimento facial.

O objetivo do Google é “facilitar” a vida das pessoas, tornar a suas experiências com as maquinas mais úteis, simples e seguras e fazer com que os robôs ajudem efetivamente seus usuários a terem uma vida melhor.

O Jornal 140 entrou no site da sua concorrente Apple (aqui) e viu uma lista de produtos que já estão disponíveis ou ainda serão lançados incluindo aparelhos de TV (“em breve”), caixas de som, iluminação, interruptores, tomadas, termostatos, janelas e coberturas, ventiladores, condicionadores de ar, umidificadores, purificadores de ar, sensores, segurança, fechaduras, câmeras, campainhas, controles de garagem e pontes de conexão. A Apple criou selos de certificação – como Apple HomeKit -mostrando que opera no modelo de “homologadora” de produtos produzidos por terceiros credenciados.

  • Últimos Posts
Os artigos publicados em nome da Redação 140 são de responsabilidade dos responsáveis por este site de notícias. Entre em contato caso tenha alguma observação em relação às informações aqui contidas.
×
Os artigos publicados em nome da Redação 140 são de responsabilidade dos responsáveis por este site de notícias. Entre em contato caso tenha alguma observação em relação às informações aqui contidas.
Latest Posts

Deixe uma resposta