Siga-nos nas Redes Sociais

Criatividade

Precisando de uma ajudinha com sua criatividade?

Êrica Blanc

Publicado

em

Resolvi resenhar esses dois livros do Austin Kleon aqui por dois motivos: 1- já os fiz separados no meu blog pessoal, que você pode ler clicando aqui e aqui. E 2- eles se completam maravilhosamente bem.

Você é uma pessoa criativa? E que trabalha com criatividade 90% do seu tempo? Então, esses livros são para você, com certeza. Mas, se você trava uma constante briga com a criatividade ou tem muita dificuldade em expor o quanto você é criativo: esses livros são EXATAMENTE o que você precisa.

Conte-me mais sobre os livros:

Enquanto Roube como um artista traz 10 dicas sobre como se manter criativo e aproveitar os estímulos diários, Mostre seu trabalho te incentiva a, obviamente: mostrar o seu trabalho. Em roube como um artista, você constrói passo a passo uma jornada pelos misteriosos caminhos da criatividade. Aprendendo que a geografia não manda mais em nós e que tudo que já foi criado pode ser reaproveitado.

Mas, mostre o seu trabalho te guia para tirar todas essas ideias criativas do papel. Afinal, elas são boas demais para ficarem empoeiradas na sua gaveta. Ao mesmo passo que você pode aprender a usar a internet ao seu favor e entender que compartilhar conhecimento é uma peça fundamental para sua caminhada rumo ao sucesso.

Austin Kleon explica tudo isso e muito mais, nesses dois livros curtos, claros, objetivos e cheios de ilustrações complementares. É uma forma divertida de aprender e um lugar seguro para você voltar sempre que: 1- a criatividade estiver sumindo; 2- a vergonha for maior que a vontade de compartilhar; 3- a auto-sabotagem estiver batendo à porta; e, por fim, 4- quando você se sentir inseguro sobre como o mundo vai lhe enxergar.

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.

Êrica Blanc é jornalista, criadora do @blogremenor, co-criadora da @amoor.co, apaixonada por contar histórias de amor reais, empreendedora de primeira viagem e louca das listas.

Continuar Lendo
Comentários

Criatividade

O Golden Circle e a importância de comunicar o propósito do seu negócio

Lai Dantas

Publicado

em

À medida que eu comecei a pensar em meu nome como uma marca, como um negócio, passei a me interessar por assuntos relacionados a branding e branding pessoal.

E foi no meio de uma pesquisa aprofundada sobre propósito que eu descobri a metodologia do Golden Circle.

O Círculo Dourado (em português) foi criado pelo palestrante motivacional Simon Sinek. Ele é autor dos livros Comece pelo Porquê e Por quê? Como Grandes Líderes Inspiram Ação.

Golden Circle

Simon desenvolveu esse conceito depois de questionar por que algumas marcas conseguem inspirar e outras não. Isso levando em consideração a capacidade que todas têm de se sobressair.

Por quê? Propósito; principais causas da marca.

Como? Estratégias utilizadas para alcançar objetivos; o diferencial do negócio.

O quê? Produto final; o que a marca vende ou oferece.

Na prática

Qual desses dois anúncios chama mais a sua atenção?

  1. Nós vendemos uma sandália para você usar na praia. É bonita e elegante. Para você usar em casa. É gostosa e macia. Para você usar no seu clube. É de alta categoria. E para você usar sempre. É resistente e a mais durável que existe.
  2. Hoje é dia de festa para o povo que traz a alegria estampada até no peito dos pés.

Os dois anúncios são das Havaianas. A diferença é que na época do anúncio A, as pessoas ainda não eram tão fascinadas pela por elas.

Se hoje é diferente, é porque o foco não está mais na sandália de borracha. Está no Brasil, no samba no pé, no calor, na praia, na piscina, no carnaval e no verão. Resumindo: na alegria de viver!

Um exemplo clássico: Apple

A Apple é uma das empresas de tecnologia mais respeitadas do mundo e isso não é segredo.

Mas afinal, com tanto tempo de mercado, por qual motivo ela continua com uma legião de fãs? Por que as pessoas sempre ficam acampadas na porta de lojas físicas às vésperas de todo novo lançamento?

Porque ela desafia o que já está no mercado pensando diferente. Como? Desenvolvendo produtos muito bem projetados fáceis de usar e com interface amigável. E que produtos são esses? Computadores, smartphones etc.

“Isto é para os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os criadores de caso. Os que são peças redondas nos buracos quadrados. Os que veem as coisas de forma diferente. Eles não gostam de regras. E eles não têm nenhum respeito pelo status quo. Você pode citá-los, discordar deles, glorificá-los ou difamá-los. Mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas. Eles empurram a raça humana para frente. Enquanto alguns os veem como loucos, nós vemos gênios. Porque as pessoas que são loucas o suficiente para achar que podem mudar o mundo são as que, de fato, mudam.” – Apple

A resposta é que ela pensa, age e comunica de dentro para fora e não o contrário.

Ela começa pelo ‘‘Por quê?’’ e não pelo ‘‘O quê?’’. Ela não oferece o que faz ou o que vende como a melhor opção do mercado. Ao invés disso, foca naquilo que acredita e inspira pessoas que acreditam na mesma coisa.

Isso é uma prática das grandes marcas! Isso é o que leva todas elas ao sucesso!

E você, sabe qual é o seu propósito? Quer descobrir?

Comece pelo autoconhecimento:

  1. No que você se considera bom?
  2. Em sua opinião, do que o mundo está precisando?
  3. Quais são suas paixões?
  4. Por qual motivo você se levanta da cama todos os dias?
  5. O que te move?

Não esqueça de tirar tudo isso do papel e AGIR.

O futuro é do propósito!

‘‘As pessoas se identificam com ideias e compram causas, não produtos ou serviços.’’

Foto: Evan Dennis / Unsplash

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Criatividade

Criatividade não é dom e uma fake news sobre Mozart pode provar

Lai Dantas

Publicado

em

“Quando sou completamente eu mesmo, quando me encontro sozinho e de bom humor – por exemplo, se estou viajando de carruagem, caminhando depois de uma boa refeição ou sem sono à noite –, minhas ideias fluem melhor e com mais abundância.’’

Esse trecho faz parte de uma carta publicada por um periódico musical da Alemanha no ano de 1815, onde o artista Amadeus Mozart descrevia em detalhes o processo criativo de suas óperas e sinfonias: ‘‘(…) Quando passo a escrever tais ideias, faço-o com bastante rapidez, uma vez que tudo já está acabado e no papel elas raramente diferem do que eram na imaginação.”

Gênio perfeito que nunca errou? Elfo sensato das eurekas? Lindíssimo dos melhores insights? Nenhuma das alternativas. Quatro décadas depois ficou comprovado que o documento divulgado era falso.

E se quatro horas já são o suficiente para que uma fake news viralize, interfira nas emoções dos envolvidos e faça todos os ´´estragos“ possíveis, imagine quarenta anos.

É claro que Mozart foi um pianista e compositor talentoso. Não é à toa que até hoje é reconhecido como um dos mais importantes nomes da música erudita e da história da música clássica. Mas suas obras primas sempre foram consequências de muito esforço, incansáveis revisões e tentativas, erros e até bloqueios criativos.

Porque a grande verdade é que ser criativo não necessariamente é um dom ou uma característica nata. Embora romântica, essa ideia é completamente equivocada. Uma crença limitante que provavelmente nasceu da necessidade de explicar resultados extraordinários através de atos especiais de grandes gênios.

Acredite! Criatividade tem mais a ver com atos simples de pessoas comuns. Assim mesmo, sem segredo: é trabalho e persistência!

LAI INDICA

Se você chegou até aqui, gostou do que leu e quer saber mais sobre criatividade, tenho três livros para indicar:

Roube como um artista

Nele, Austin Kleon dá 10 dicas sobre criatividade. De todas, minha preferida é a segunda: não espere até saber quem você é para começar. Afinal, é na ação que a gente se descobre.

Tudo bem que o livro parte do princípio de que ´´Nada se cria, tudo se copia!“ e eu discordo dessa teoria, mas ainda assim recomendo a leitura. É leve, objetiva e motivadora!

Mindset: a nova psicologia do sucesso

Sensacional!

Serve não só para quem trabalha com criatividade, como também para pais, atletas e professores.

Aliás, é o tipo de livro que todo mundo deveria ter. Carol Dweck mostra, através de pesquisas que realizou em sua área de atuação, de onde vêm as crenças limitantes que carregamos durante a vida e de que forma elas atrapalham nosso desenvolvimento pessoal e profissional.

Tem solução? Tem e está no último capítulo.

A história secreta da criatividade

´´Em A história secreta da criatividade, o professor do MIT Kevin Ashton mostra que o processo criativo é lento, complexo, espinhoso e repleto de falhas, frustrações e recomeços.“

Assino embaixo da sinopse e acrescento que:

  1. O livro tem histórias inspiradoras de pessoas simples que mudaram o mundo.
  2. Foi por meio dele que eu aprendi sobre o mito da criatividade.
  3. Inevitavelmente é uma leitura que abre a mente para ideias, sonhos e criatividade.

Já leu algum desses livros? Vai ler? Me conta o que achou.

Por hoje é só, mas semana que vem tem mais!

Foto: Amadeus / Warner Bros.

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Trending