Ouça o podcast: o lado sombrio da publicidade digital

Com uma entrevista sobre publicidade digital com Marco Frade, diretor de digital e RP da LG e presidente do comitê de Mídia da ABAAssociação Brasileira de Anunciantes, o Jornal 140 inicia uma série de entrevistas em podcast.

Começamos de cara com um tema árido, complexo, que não tem consenso no mercado anunciante. Vale o alerta: se você não é anunciante, publicitário ou não trabalha no mercado de marketing é melhor nem continuar e parar por aqui.

Conheci o Marco Frade em uma apresentação no WTC Club onde falou sobre o documento “Carta Global de Mídia” que reúne as boas práticas no ambiente de publicidade digital. Vários pontos me chamaram a atenção mas o mais chocante foi a informação de que para cada Real investido o anunciante só tem 50% da entrega garantida.

Abordamos nesta entrevista a problemática questão do sistema de anúncios publicitários nos meios digitais. Se por um lado as plataformas como Facebook, Instagram, Google e YouTube trouxeram a possibilidade dos anunciantes mostrarem as suas mensagens de maneira extremamente direcionada e eficiente, por outro oferecem métricas de entrega duvidáveis por não permitirem auditoria de terceiros (“third-party viewability” como diz Marco Frade). A analogia seria entregar a chave do galinheiro (a plataforma digital onde todos os usuários se encontram e deixam rastros de suas passagens) para a raposa (os gestores da plataforma) – a raposa entrega as métricas para os anunciantes que têm de acreditar que os dados são verdadeiros.

Marco Frade define este sistema fechado, controlado apenas pelas plataformas, como um jardim murado (“Walled Garden”). Pergunto para ele: “não é uma contradição? O mundo digital se gaba de ser totalmente contabilizável (accountability) e ao mesmo tempo promete alcançar pessoas que efetivamente não alcança”. Acompanhe a seguir o podcast.

PS.: Marco Frade menciona nesta entrevista vários modelos e ferramentas da mídia programática como DMP e DSP. Se você não sabe o que são estas siglas recomendo a matéria do Lucas Gonçalves, aqui.

Foto: KAL VISUALS (Unsplash).

Deixe uma resposta