Siga-nos nas Redes Sociais

Marketing

Representatividade feminina: você conhece o Teste de Bechdel?

Lai Dantas

Publicado

em

É impressão minha ou temos falado cada vez mais sobre mulheres por aqui?

Só por isso, hoje eu tomei a liberdade de sair um pouco da minha área de atuação (Produção de conteúdo e criatividade) para escrever sobre algo que ouvi falar pela primeira vez há pouquíssimo tempo e achei simplesmente fantástico: o Teste de Bechdel, criado para avaliar a representatividade feminina em filmes.

Tudo começou quando, na década de 1980, a cartunista Alison Bechdel, autora de quadrinhos com assuntos considerados tabu para a época, criou uma história que ironizava a forma como a indústria Holywoodiana retratava a mulher no cinema.

Assim surgiram as três ‘‘regrinhas’’ básicas do teste:

O filme deve ter, pelo menos, duas personagens femininas e com nome próprio;

Essas personagens devem conversar entre si;

A conversa pode ser sobre qualquer coisa, desde que não faça menção a um homem.

PARA REFLETIR

Parece fácil, né? Mas acredite: não é! Não é à toa que muitos filmes, mesmo que aparentemente feitos para enaltecer a figura feminina, já reprovaram no teste.

Ah! Não posso esquecer uma coisa: essa avaliação não inclui a qualidade da ficção.

Aliás, eu vejo como uma forma de entregar ao público um alerta. Principalmente se levarmos em consideração que nosso papel em processos de transformação social é fundamental, e isso inclui o que decidimos consumir.

Por exemplo:

De todos os filmes que você já assistiu na vida, quantos retrataram a mulher como uma pobre dama em perigo ou à procura do grande amor? Juro que ainda que eu tivesse 10 mãos, não seria o suficiente para ajudar a fechar essa conta. São muitos, a começar pelos desenhos animados infantis: a princesa que dependia do beijo do príncipe para acordar, a gata borralheira que virou princesa depois de ser escolhida por um príncipe em meio a tantas opções, a sereia que abdicou da vida no mar para viver feliz para sempre com um humano, e por aí vai. (Moana e Elsa, vocês são a nossa esperança!).

Agora, quantos filmes de super-heroínas você já viu?

Quantos filmes baseados em fatos reais de mulheres inspiradoras você já assistiu?

Quantos filmes que falam sobre mulheres têm uma equipe de mulheres por atrás das câmeras, comandando a produção, a maquiagem, o figurino, a fotografia etc.?

É uma reflexão que vale a pena fazer!

SELO BECHDEL

Lembra quando eu falei sobre transformação social? Um quadrinho deu origem a outras ideias, que deu origem a pesquisas e no final das contas, temos aqui uma bela prova da importância da representatividade feminina:

  • Em 2013, Ellen Tejle, diretora de uma sala de cinema em Estocolmo, começou a marcar os cartazes de filmes aprovados no Teste de Bechdel com adesivos personalizados. De quebra, a ideia se espalhou por mais de 10 países.
  • O Brasil foi o primeiro país da America Latina a adotar o selo idealizado por Ellen.
  • Uma pesquisa realizada pela Creative Artists Agency (CAA) e pela empresa de tecnologia Shift7 mostrou que os filmes aprovados no Teste de Bechdel estão lucrando muito mais.

TESTE DO TESTE

Vamos de desafio?

Esses são os trailers de Coisa mais linda, Pantera negra e Como treinar o seu dragão 2, respectivamente.

Se você já viu algum deles, deixa nos comentários: quais seriam aprovados pelo Teste de Bechdel? Se não assistiu nenhum, pode falar de algum outro filme/outra série.

O importante é participar!

Foto: Alison Bechdel / UVM Bored

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.

Lai Dantas é profissional de marketing e acredita que o futuro é de marcas que se importam com pessoas. Atualmente, empreende na internet como produtora de conteúdo. Adora um café quente e um bom livro!

Continuar Lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Escreva um Comentário

Marketing

3 vantagens de ter um perfil comercial no Instagram

Neste artigo, você também vai aprender como mudar sua conta para conta comercial no Instagram.

Lai Dantas

Publicado

em

Foto: Unsplash

Conhecido por implementar mudanças ora bem recebidas, ora motivos de críticas e polêmicas, o Instagram é hoje uma das redes sociais mais utilizadas por empresas brasileiras. Inegavelmente o rei do engajamento sabe acompanhar as necessidades do público que tem e um exemplo claro é a opção de perfil comercial que disponibilizou.

Por consequência da atualização, marcas empresariais e pessoais passaram a ter acesso a informações fundamentais para a construção e manutenção das estratégias que desenvolvem para a plataforma, uma vez que curtidas e comentários já não são parâmetros de resultados há muito tempo.

Vantagens de ter um perfil comercial

Mensurar resultados

Com o perfil comercial, é possível obter dados como alcance, impressões, visualizações, cliques, dados demográficos (idade, cidade, gênero etc.), assim como saber quantas pessoas salvaram sua publicação, compartilharam seu post com outro usuário, visitaram seu perfil ou clicaram no seu site (caso tenha um).

O que isso significa? Ter acesso ao que funciona e ao que não funciona nos permite ajustar a estratégia, o conteúdo e até mesmo o investimento.

Inserir opções de contato

Outra vantagem é que você pode inserir informações públicas da sua marca, como endereço de e-mail, endereço comercial e telefone. Além disso, também é possível adicionar um botão de ação e, dessa forma, seus clientes poderão interagir com sua empresa a partir do seu perfil.

Comprar, agendar, reservar e iniciar pedido são algumas das opções disponíveis no momento.

Foto: Unsplash

Agendar publicações

Recentemente o Facebook liberou o agendamento de posts no Instagram. O mesmo vale para IGTV e tudo pode ser programado por até seis meses. Você só precisa ter um perfil comercial.

Nessa o Estúdio de Criação do Facebook mandou muito bem, já que antes, para manter a organização e o calendário de postagens em dia, era preciso recorrer a ferramentas pagas de gerenciamento de redes sociais.

Como mudar sua conta para comercial no Instagram

Siga o passo a passo:

  1. Em primeiro lugar, acesse as configurações da plataforma e selecione a opção conta;
  2. Em seguida, opte por “mudar para conta profissional”;
  3. Escolha a opção que melhor descreve você ou seu negócio (criador de conteúdo ou empresa) e clique em avançar;
  4. Depois, selecione a categoria que melhor descreve o que você faz.
  5. Então, preencha suas informações públicas de contato;
  6. Opte por conectar sua página a uma conta do Facebook ou não;
  7. Enfim, seguindo todos esses passos, você terá um perfil comercial.

Gostou do artigo?

Talvez você também se interesse por: Marketing de Conteúdo: O que fez uma marca de pneus distribuir guias turísticos.

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Marketing

Por que produzir conteúdo é importante?

Neste artigo, você vai entender – de forma simplificada – a importância da produção de conteúdo.

Lai Dantas

Publicado

em

Foto: Michelin

Produzir conteúdo não se resume a escrever, tampouco escrever apenas para um blog ou falar sobre determinado assunto nos Stories do Instagram. Não à toa, dentro do marketing digital é a estratégia mais utilizada por empresas.

Blog post, post para redes sociais, webinar, vídeo, podcast, newsletter, e-book, infográfico, enquete, meme, gif, estudo de caso, guia, lista, ao vivo e por aí vai: ao entregar valor para a pessoa certa, por meio de materiais relevantes, você acaba criando uma percepção positiva sobre sua marca, seja ela pessoal ou empresarial.

Vamos falar um pouco mais sobre isso? Continua comigo.

Produzir conteúdo é centenário!

O conteúdo como estratégia surgiu há muito tempo e não foi na internet.

Lembra quando eu falei sobre a marca de pneus que distribuiu guias turísticos para motoristas de uma região interiorana da França? Pois é. Isso faz mais de 100 anos.

Michelin

A empresa da qual estou falando é a Michelin. Ao invés de distribuir panfletos prometendo a melhor qualidade do mercado, disponibilizou exemplares com dicas de viagem e informações sobre os melhores estabelecimentos para comer e se hospedar. Assim, motoristas começaram a viajar de carro cada vez mais para conhecer esses lugares incríveis e, como consequência de tantos quilômetros rodados, uma hora precisaram trocar os pneus gastos. Entendeu a sacada?

Leite Moça

Um exemplo mais atual é o leite condensado Moça da Nestlé.

Com a reformulação da embalagem, as latas passaram a vir com receitas no verso. E depois mudou ainda mais. O produto agora vem com um QR Code que redireciona o consumidor para as redes sociais, onde é possível conferir a receita completa e outras opções. Um prato cheio para quem gosta de cozinhar e quer aprender novas sobremesas!

Produzir é importante porque…

Os hábitos de consumo mudaram e como diz Seth Godin, o marketing que funciona no momento é aquele que as pessoas escolhem prestar atenção. Ou seja, o marketing de conteúdo: que atrai, envolve e gera valor.

A produção de conteúdo, então, nada mais é do que uma forma de construir relacionamentos duradouros entre uma marca e um consumidor, levando em consideração que ele tem um mundo de informações na palma da mão.

Com um leque de possibilidades, por que escolher a opção L e não a opção A, B, C ou Z? Por que escolher você e não o concorrente?

Porque você conhece suas dores e necessidades, bem como seus anseios e desejos, como ninguém. E não interrompe, não apela e não implora. Você só está ali interessado em solucionar, educar e ensinar, ao invés de simplesmente vender. Né?

Portanto, crie! Crie de forma consistente e se torne inesquecível!

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Trending