O que é música pra você?

Música é algo presente na vida de todos: influencia o humor, interações sociais e visão de mundo. Talvez seja o tipo de arte mais acessível que existe. Todo mundo ouve, canta, dança ou produz música, seja profissionalmente ou não. Existem vários gêneros, subgêneros, batidas, acordes, samples. Por conta dessa presença quase onipresente no cotidiano, é comum ouvir muitos comentários sobre artistas, bandas ou ritmos. Geralmente criticando o que está tocando nas rádios, o que os jovens ouvem, que antes era tudo melhor… A nostalgia e o saudosismo são vistos como verdade absoluta para alguns.

Arte é experimental. Sempre está em evolução, o que não necessariamente significa uma melhora, e sim, experimentação. Estilos novos vão surgir, paradigmas são quebrados, o velho volta à moda, o brega vira chique e o clássico é atemporal. Tudo que é underground vira mainstream, principalmente em uma sociedade capitalista sedenta por novidades. Com música, isso fica ainda mais claro. Os artistas novos ousam, mas com base nas estrelas do passado. Cantores antigos inovam. Bandas novas fazem mesmices. Novos gêneros surgem repaginando o que é considerado demodê.

Tem muita gente interessante, esquisita, brilhante, ruim e eletrizante musicalmente. Sempre terá. Por mais que as canções estejam mais eletrônicas, é inevitável usar instrumentos. Por mais que usem programas para alterar a voz e dar ares robóticos, a presença humana está presente. Música, nada mais é, do que a expressão mais sincera da humanidade. Afinal, quem nunca conseguiu expressar uma ideia em um diálogo, ouviu uma canção e pensou que era exatamente aquilo que sentia? Quem nunca se arrepiou, chorou ou afogou as mágoas ao som de melodias tristes? Quem nunca se acabou de dançar? Tudo muda conforme o passar do tempo. Simultaneamente o essencial permanece o mesmo. Antíteses são normais e implacáveis. Música continua sendo arte, mesmo amplamente comercializada. Shows persistirão a existir, independente de serem super produções ou não. O bom surge e o ruim é esquecido. É isso que música é para mim.

Foto: Spencer Imbrock / Unsplash

  • Últimos Artigos
Jéssica Patrine
Jéssica Patrine é jornalista, nerd, leitora compulsiva e chocólatra. Não para de ouvir música, por isso escreve para o Ré Menor sobre o tema. Gosta de tudo um pouco, mesmo parecendo que não curta nada.
×
Jéssica Patrine
Jéssica Patrine é jornalista, nerd, leitora compulsiva e chocólatra. Não para de ouvir música, por isso escreve para o Ré Menor sobre o tema. Gosta de tudo um pouco, mesmo parecendo que não curta nada.
Latest Posts

Deixe uma resposta