Em agosto de 2019 poderíamos

Em agosto de 2019, poderíamos ter reduzido o número de muros, fronteiras, bordas, divisões, alfândegas, carimbos, selos e barreiras.

Em agosto de 2019, poderíamos ter pelo menos um laboratório ou base permanente na superfície da Lua, habitada por cientistas e especialistas, artistas, designers e pensadores de todas as partes do mundo.

Em agosto de 2019, poderíamos não depender mais de combustíveis fósseis para movimentar nossas máquinas e veículos.

Em agosto de 2019, poderíamos não depender de pesticidas químicos para proteger plantações.

Em agosto de 2019, poderíamos não sentir fome em qualquer ponto do planeta.

Em agosto de 2019, poderíamos. E deveríamos.

Em agosto de 2019, poderíamos ter a cura da AIDS, do Alzheimer, de vários tipos de câncer e de doenças comuns mas letais, como cólera, tifo, difteria e Chagas.

Em agosto de 2019, poderíamos viajar para Marte sem culpa de investir trilhões de dinheiros em uma aventura interplanetária, porque os problemas básicos estariam resolvidos em casa.

Em agosto de 2019, poderíamos ter superado o complexo militar-industrial e ter nos livrado da paranoia financeira, com suas bolhas dolorosas e seu pus malcheiroso.

Em agosto de 2019, poderíamos não ter uma epidemia global de depressão e suicídio. Além das epidemias de doenças comuns, que a ignorância pode trazer de volta.

Em agosto de 2019, poderíamos viver em cidades, bairros e residências totalmente autossuficientes em termos de água, energia e resíduos.

Em agosto de 2019, poderíamos ter apenas plásticos de origem 100% vegetal, duráveis quando necessário, e biodegradáveis quando preciso.

Em agosto de 2019, poderíamos administrar o uso da água potável de modo inteligente em escala mundial.

Em agosto de 2019, poderíamos…

A lista é muito longa.

Em agosto de 2019, deveríamos. Em agosto de 2019. Devemos.

Deixe uma resposta