Siga-nos nas Redes Sociais

Síndromes

Afinal, você sabe o que é essa tal da Síndrome de Burnout?

Raissa Fernanda

Publicado

em

Sabemos o quanto é difícil levantar da cama quando o nível de trabalho está excessivo e você mal consegue marcar um chopp com os amigos devido à exaustão. E embora, grande parte dos seus amigos já tenha te dito que é ‘normal’, é melhor ficar atento – Pode ser Síndrome de Burnout. Se você não conhece, neste post, vou te explicar melhor o que é a Síndrome de Burnout e como ela está diretamente ligada à sua relação com o trabalho.   

Você não está sozinho

Descoberta pelo médico americano Freudenberger em 1974, a Síndrome de Burnout é diagnosticada como transtorno psíquico de carácter depresivo. Mas não se assuste, de acordo dados levantados pela Associação Nacional de Medicina do trabalho, mais de 30% dos trabalhadores brasileiros sofrem de Burnout. Que nada mais é que, o cansaço excessivo relacionado ao seu gerenciamento de trabalho – Aqui não estamos falando do seu chefe e sim da forma como você encara as situações de conflito que seu trabalho te proporciona,ok? – as responsabilidades atribuídas à sua função, situações de stress e conflito, entre outras. 

Ou seja, de acordo dados mais recentes do IBGE, o Brasil tem 74 milhões de brasileiros economicamente ativos, 30% disso é bastante coisa né? 

Vamos responder algumas das perguntas mais frequentes sobre o tema: 

Principais características da Sindrome de Burnout 

O Burnout tem como principal característica a exaustão crônica e estresse, ocasionado pelas condições de trabalho, psicológica, emocional e até física – Embora seja uma síndrome psíquica a forma como vc reage tem manifestações físicas comprovadas – Muito propensa a se manifestar em pessoas que possuem funções que exigem relacionamento interpessoal direto e em alguns casos intenso. Algumas das características, são:

  • Necessidade de reconhecimento e auto afirmação profissional;
  • Tristeza Profunda; 
  • Imediatismo – Excesso de dedicação;
  • Dificuldade de sair da cama, sair com os amigos, dormir; 
  • Dar mais prioridade ao contato via e-mail a fim de evitar reuniões e socializações que julga ‘desnecessária’;
  • Agressividade;
  • Nervosismo;
  • Colapso Físico e mental;
  • Sensação de correr e não chegar a lugar nenhum;

Como é feito o diagnóstico da Síndrome de Burnout?

O diagnóstico da Síndrome de Burnout é feito por profissionais da área psicoterapêutica(Psicologos e psiquiatras). Caso você tenha se identificado com algumas das características que descrevemos acima, talvez seja hora de procurar um profissional de sua confiança para bater um papo. Mas é essencial para iniciar o tratamento, que você identifique os fatores determinantes que te levam a essas situações de stress. Você anda se alimentando bem? todos os dias é uma nova desculpa para ficar até tarde no trabalho? Os prazos nunca acabam de chegar? Respira!  

Burnout não é uma condição médica reconhecida pela OMS(Organização Mundial de Saúde) mas listada pela mesma como ‘fenômeno ocupacional’. O que significa que afeta seu desenvolvimento profissional e pessoal. Por isso, o acompanhamento médico é extremamente importante, principalmente em casos mais graves.

Qual o tratamento?

Tratamento terapêutico é essencial para não agravar o caso de Burnout. Em alguns casos, de acordo análise do terapeuta é indicado até o consumo de antidepressivos e ansiolíticos. 

Também é hora de parar de inventar desculpas para iniciar a prática de exercícios físicos. Não é muito difícil e nem precisa se esforçar para além da conta. Um passeio no parque, uma caminhada, alongamento, yoga, o que se encaixar melhor com seu perfil e que te dê prazer ao mesmo tempo. 

É preciso também cuidado com a quantidade de demanda e exposição à situações de stress, gerenciar o tempo dedicado para trabalho e as condições do mesmo. O cuidado com a ingestão de álcool e drogas também deve ser aumentado. Quem não gosta daquela cervejinha de sexta-feira à noite, não é mesmo? Mas é bom dar uma maneirada. Afinal, o uso de álcool e drogas afeta diretamente o julgamento e distorção da noção de realidade de quem o consome, além de reduzir os efeitos de remédios prejudicando o tratamento.   

Como comunico minha empresa?

Após o diagnóstico médico, chega a hora de comunicar a empresa. Se bater aquele friozinho na barriga, não se preocupe, assim como para você é importante ser um profissional comprometido e saudável para sua empresa deve ser igualmente importante a saúde do funcionários. Afinal de contas, a maquina da empresa não funciona sem a pecinha principal, as pessoas. Então seja honesto sobre os motivos que te levaram à essa exaustão e negocie com a sua empresa como podem te apoiar com a sua recuperação. Seja reduzindo frequência de trabalho, remanejando tarefas ou reduzindo volume de atividades.

Como faço para prevenir a Síndrome de Burnout?

Para prevenir um caso de síndrome de Burnout, é necessário uma mudança de estilo de vida. Que envolve reavaliar a sua relação com o trabalho e como você cuida da sua saúde. Aquela conversa de que dormir adequadamente ajuda à saúde, não é balela. Alguns outros pontos importantes de se prevenir um quadro de síndrome de Burnout, são:

  • Tenha atividades que não envolvam diretamente o trabalho. Fuja da rotina diária (saia para comer em um restaurante, vá ao cinema);
  • Retome suas relações pessoais. Esteja mais em contato com amigos e familiares;
  • Converse com alguém de confiança, se possível, um profissional;
  • Mantenha sempre o equilíbrio entre vida profissional e pessoal; 

O importante mesmo é sempre lembrar que nossa vida é o equilíbrio de várias metades(Social, Espiritual, Amoroso, Educacional, profissional entre outros) e manter essas metades em equilíbrio é o que vai garantir mais qualidade de vida para você.  Não é sobre ser um profissional “mais ou menos”, não entregar os prazos ou não corresponder ao prometido na empresa em que trabalha, mas saber a importância de ter uma vida além do trabalho para seu desenvolvimento pessoal, profissional e mais importante, com a sua saúde. 

Agora que você conhece um pouco mais sobre a Síndrome de Burnout, conte pra gente o que você pensa sobre o assunto. Se reconhece em algum dos tópicos citados? Não deixe de compartilhar também nas suas redes sociais.

Foto: Sebastian Herrmann / Unsplash

Raissa é contadora de histórias de coração. Com 7 anos de experiência em produção de conteúdo, UX Writer, SEO, planejamento de comunicação e marketing.

Continuar Lendo
Publicidade O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Escreva um Comentário

Trending