Siga-nos nas Redes Sociais

Publicado

em

Coringa, da Warner Bros. Pictures, é estrelado pelo indicado ao Oscar Joaquin Phoenix, que interpreta o protagonista do longa, com o vencedor do Oscar Robert De Niro. O filme é dirigido, produzido e coescrito pelo indicado ao Oscar Todd Phillips. Coringa é uma história original do vilão nunca antes vista no cinema. A versão de Phillips sobre Arthur Fleck (Phoenix), um homem desprezado pela sociedade, não é só uma visão realista do personagem, mas também uma lição de vida.

O filme também é estrelado por Zazie Beetz (“Deadpool 2”), Frances Conroy (série de TV “American Horror Story”, série da Hulu “Castle Rock”), Marc Maron (séries de TV “Maron” e “GLOW”), Bill Camp (“Operação Red Sparrow”, “A Grande Jogada”), Glenn Fleshler (séries de TV “Billions” e “Barry”), Shea Whigham (“O Primeiro Homem”, “Kong: A Ilha da Caveira”), Brett Cullen (“42 – A História De Uma Lenda”, série da Netflix “Narcos”), Douglas Hodge (“Operação Red Sparrow”, série de TV “Penny Dreadful”) e Josh Pais (do inédito “Motherless Brooklyn”, “Despedida em Grande Estilo”).

Phillips (da trilogia “Se Beber, Não Case!”) dirige o filme a partir de um roteiro que ele coescreveu com Scott Silver (“O Vencedor”), baseado nos personagens da DC. O filme é produzido por Phillips e Bradley Cooper, através de sua produtora, Joint Effort, e Emma Tillinger Koskoff. Os produtores executivos são Walter Hamada, Michael E. Uslan, Aaron L. Gilbert, Joseph Garner, Richard Baratta e Bruce Berman.

Nos bastidores, somam-se a Phillips o diretor de fotografia Lawrence Sher (do inédito “Godzilla II: Rei dos Monstros”, trilogia “Se Beber, Não Case!”), o desenhista de produção Mark Friedberg (“Selma – Uma Luta pela Igualdade”, “O Espetacular Homem-Aranha 2 – A Ameaça de Electro”), o editor Jeff Groth (“Cães De Guerra”, “Se Beber, Não Case! Parte III”) e o figurinista vencedor do Oscar Mark Bridges (“Trama Fantasma”, “O Artista”).

Uma apresentação da Warner Bros. Pictures em associação com a Village Roadshow Pictures e a BRON Creative, uma produção da Joint Effort, um filme de Todd Phillips, Coringa tem estreia prevista para 3 de outubro de 2019 e será distribuído mundialmente pela Warner Bros. Pictures.

Assista ao trailer de Coringa:

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.

Os artigos publicados em nome da Redação 140 são de responsabilidade dos responsáveis por este site de notícias. Entre em contato caso tenha alguma observação em relação às informações aqui contidas.

Continuar Lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Escreva um Comentário

Eventos

Lista: atrações imperdíveis na CCXP19

Os expositores capricharam nas ativações e selecionamos as que são imperdíveis para aqueles que visitarão o maior evento de cultura pop do mundo

Beatriz Fleira

Publicado

em

Foto: Beatriz Fleira / Art Presse

A CCXP19, evento criado pela Omelete Company, teve todos os seus ingressos esgotados semanas antes de abrir os portões do São Paulo Expo para o público. O evento acontece próximo à estação Jabaquara do Metrô de São Paulo e todos os anos, o local se transforma com a legião de fãs do universo geek.

Em sua sexta edição, a CCXP deve atrair mais de 280 mil pessoas para atrações de tirar o fôlego, em diversas áreas, como, Artist’s Alley by Bruttal, Auditório Cinemark XD, Auditório Prime, Auditório Ultra, Board Games by Hershey’s, CCXP Cruise, Cosplay Universe by Globo, Creators by Trigg, Espaço Geek Babies, Fotos & Autógrafos da Oi, Harry Potter Experience, Oi Game Arena e Omelete Arena.

Para ajudar o público na localização dos espetáculos, shows, alimentação, meeting & greeting, e também para conferir atrações, como a pré-estreia de Frozen 2, e as demais ativações, a Omelete Company desenvolveu em parceria com a OI, o aplicativo CCXP19, disponível para Android e IOS, que contém mapa e agenda de tudo o que acontece por lá.

Selecionamos aqui o que você não pode perder!

Artist’s Alley

O espaço, também conhecido como o coração da CCXP, celebra a paixão da comunidade geek pela cultura pop. Nele, artistas de diversas regiões do Brasil e de outros países, apresentam seus trabalhos diretamente para os fãs de maneira interativa. Autografam pôsteres, HQs e livros. Ótima dica para adquirir artes sensacionais!

Harry Potter Experience

Se você é Potterhead de carteirinha não pode perder o Hogwarts Express, ou terá que aguardar que o Rony Weasley te dê uma carona. Com uma réplica que solta fumaça do trem icônico dos filmes de Harry Potter em plena CCXP, os fãs podem tirar diversas fotos livremente.

Arena de Board Games by Hershey’s

Está cansado e quer comer alguns chocolates da Hershey’s enquanto joga uma partida de algum jogo de tabuleiro? A CCXP tem um espaço especial para você. Se está sozinho, não tem problema! Essa é sua chance de fazer novos amigos. Dedicada aos amantes dos jogos de tabuleiro, a arena de Board Games é uma parceria entre a Galápagos jogos e a Hershey’s.

Creators by Trigg

O espaço Creators by Trigg leva influenciadores do YouTube e da televisão para um lugar reservado para os fãs. Lá você pode conferir entrevistas ao vivo e shows incríveis de bandas como Far from Alasca, Fresno, Supercombo e Scalene.

Ativações Amazon Prime, Disney, Globoplay e Netflix

As grandes empresas distribuidoras de produções audiovisuais prepararam atrações épicas para o público da CCXP. Que tal entrar no carrossel de “American Gods”, fazer uma aula de aeróbica no Shopping Starcout de “Stranger Things”, pular de tirolesa como a Mulan e conferir um talk show dos talentos das empresas Globo?

E ai, já anotou o que não pode perder? Qual a sua atração mais aguardada na CCXP?

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Eventos

Centro Cultural FIESP apresenta a exposição “Alphonse Mucha: o legado da Art Nouveau”

Após passar por Nova York, Copenhagen, Paris e Madri, a maior retrospectiva do artista chega à capital.

Helena Trevisan

Publicado

em

Foto: Alphonse Mucha: o legado da Art Nouveau / FIESP

06Com mais de 100 obras pertencentes à Fundação Mucha de Praga, a FIESP trás para o público o legado do tcheco Alphonse Mucha, artista que contribuiu para a Art Nouveau, estilo amplamente difundido no final do séc. XIX, e nos apresenta sua trajetória, o desenvolvimento de seu estilo gráfico, o qual é muito particular, e sua ideia de beleza.

A exposição é dividida em quatro seções. A primeira, “Mulheres: Ícones e Musas”, mostra como o artista pensava o belo. Retratando mulheres como as figuras principais de suas gravuras, Mucha as celebra como deusas e figuras etéreas. O maior exemplo disso foram os pôsteres por ele criados para as peças da atriz Sarah Bernhardt, parceria que durou seis anos e o levou a notoriedade. Também podemos ver sua arte em caixas de biscoitos, perfumes e calendários.

A segunda, chamada “O Estilo Mucha – uma Linguagem Visual”, mostra como ele se insere ainda mais no mundo da publicidade. Suas gravuras peculiares e únicas, representando a ideia de beleza, impressionaram tanto marcas e empresários, quanto o público no geral, que chegava a “roubar” os anúncios dos produtos feitos pelo artista, que eram pendurados por Paris, para emoldurarem e levarem para suas casas.

Na terceira seção, vemos o retorno de Mucha a seu país de origem, a então Monróvia. Pertencente ao império Astro-Húngaro, o país se trona independente em 1918, tornando-se a República da Checoslováquia. Durante esse período, o artista produz sua obra-prima: “Epopeia Eslava”, que é composta por 20 painéis gigantes, que chegam a 8m X 6m. Na exposição, as pinturas são representadas por projeções e podemos ver como são usados elementos folclóricos daquela cultura, como guirlandas de flores e vestes típicas, para representar seu povo. Assim, sua arte é usada em cédulas e selos para inspirar e unir os tchecos.

Na quarta e última seção, “O Legado do Estilo Mucha”, vemos como seu estilo influenciou na arte contemporânea. Nos anos 60, artistas do estilo psicodélico se inspiraram em Mucha para produzir pôsteres de bandas, cartazes de shows e ilustrações. Já nos anos 80 e 90, ilustradores japoneses e sul-coreanos fizeram o mesmo em seus mangás e manhwa.

Com essa exposição, o público brasileiro, principalmente designers, ilustradores e profissionais da arte visual no geral, podem vislumbrar como o artista criou um estilo único e nos faz admirar sua obra. Afinal, como Alphonse Mucha disse: “A missão do artista é incentivar as pessoas a amar a beleza e a harmonia”.

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Trending