Siga-nos nas Redes Sociais

Pitching

Um convite para olhar o vento

Sesc Vila Mariana lança documentário Olhar o Vento, com direção de Talita Miranda, em noite que comemora os 70 anos de Ivaldo Bertazzo

Publicado

em

No dia 24 de outubro (quinta, 20h), o Sesc Vila Mariana recebe o lançamento do documentário “Olhar o Vento” (Dir.: Talita Miranda, BRA, 2019, 28″), baseado na obra Próximo Passo – O Espetáculo, de Ivaldo Bertazzo, realizada em 2017 e protagonizada por cidadãos dançantes com o objetivo ajudá-los a superarem a depressão por meio da dança.

O filme “Olhar o Vento”, dirigido pela fotógrafa e diretora audiovisual Talita Miranda que, a partir da perspectiva psicomotora e humana contida no Método Bertazzo, investiga o fenômeno da integração entre as funções vitais do corpo físico, psíquico e simbólico, e revela como sentimentos antagônicos de tristeza e felicidade, ansiedade e trégua são necessários para o processo de construção de identidade.

Antes da exibição do documentário será mostrado o making of  “Próximo Passo – o processo” (Dir.: Talita Miranda, BRA, 2019, 7″) baseado no “Próximo Passo – O Espetáculo”, apresentado no Sesc Vila Mariana em 2017, que mostra a trajetória dos participantes e do educador no processo lúdico e sofrido dos ensaios que culminaram na apresentação final.

Bertazzo nos mostra como o corpo precisa manter os sentidos ativos, criando relações, para manter a estabilidade e o equilíbrio emocional: o corpo deve lutar constantemente contra o estado de engessamento, através de gestos e atitudes que em sua evolução, passam inevitavelmente por conflitos e dor. Neste contexto a psicomotricidade se torna então uma grande aliada para os ritos de passagem promovidos pela vida.

Após a exibição, Danilo Santos de Miranda, Diretor do Sesc São Paulo, bate um papo com o coreógrafo e educador sobre seu método de trabalho e processos de criação. O lançamento do filme coincide com o feliz momento de celebração dos 70 anos de Ivaldo Bertazzo e suas 4 décadas de parcerias e realizações com o Sesc.

LANÇAMENTO DO DOCUMENTÁRIO “OLHAR O VENTO”

Obra baseada em espetáculo Próximo Passo de Ivaldo Bertazzo.

com os bailarinos: Claudia Nwabasili | Roges Doglas

e a atriz: Fabiana Gugli

e depoimentos dos cidadãos dançantes: Maria Regina Fernandes | Ângela Cristina Simões Monteiro | Marco Antônio Ribeiro | Nick Vilamaior | Gerd Duwe Filho | Sandra de Oliveira Bezerra | Maria Regina dos Santos | Moara Pereira de Oliveira | Marcelo R. Onaga | Aranaí Guarabyra | Kelly Sabino | Ronaldo Cardoso | Andréa Bassitt

Direção e Argumento: Talita Miranda

Direção de Coreografia e Concepção: Ivaldo Bertazzo

Roteiro: Mariana Trench Bastos

Dia 24/10/2019. Quinta, às 20h

ENTRADA GRATUITA – Retirada de ingressos na rede de bilheterias do Sesc a partir das 14h, no dia da atividade

Local: Auditório do Sesc Vila Mariana

Classificação indicativa: Livre 

Sesc Vila Mariana | Informações

Rua Pelotas, 141, São Paulo – SP

Informações: 5080-3000

sescsp.org.br 

Horário de funcionamento da Unidade:

Terça a sexta, das 7h às 21h30; sábado, das 9h às 21h; e domingo e feriado, das 9h às 18h30 

Central de Atendimento:

Terça a sexta, das 9h às 20h30; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h30 

Estacionamento: R$ 5,50 a primeira hora + R$ 2,00 a hora adicional (Credencial Plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes). R$ 12 a primeira hora + R$ 3,00 a hora adicional (outros). 111 vagas.

O estacionamento conta com bicicletário gratuito. 10 vagas.

Biba Fonseca
Vicente Negrão Assessoria
11 3064-2563

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.

Os artigos publicados em nome da Redação 140 são de responsabilidade dos responsáveis por este site de notícias. Entre em contato caso tenha alguma observação em relação às informações aqui contidas.

Pitching

Alberto Pecegueiro sairá da Globosat em janeiro do próximo ano

Após 25 anos à frente da maior programadora de TV por assinatura do Brasil, Pecegueiro será representante do Grupo Globo nos conselhos de administração de quatro JVs-joint ventures

Publicado

em

Foto: Alberto Pecegueiro / Globosat

Comunicado distribuído hoje pela Globo, informa que o diretor-geral Alberto Pecegueiro decidiu encerrar suas atividades executivas na empresa, em janeiro de 2020, após 25 anos à frente da Globosat. O anúncio foi feito hoje por Roberto Irineu Marinho, presidente do Conselho de Administração, e por Jorge Nóbrega, presidente-executivo do Grupo Globo, em comunicado distribuído aos funcionários da empresa. Em razão do profundo conhecimento da indústria e da carreira singular construída na empresa, o executivo foi convidado a representar o Grupo Globo nos conselhos administrativos das ‘joint ventures’ da qual o Grupo faz parte.

Ainda de acordo com o comunicado, que é transcrito aqui integralmente, Pecegueiro é um dos principais expoentes da indústria audiovisual no Brasil e a sua trajetória foi marcada pelo desenvolvimento do mercado de TV paga e pela transformação da Globosat na maior programadora de TV por assinatura da América Latina, com um portfólio composto por mais de 30 canais. Responsável pelos movimentos mais relevantes da indústria , como a implementação do modelo de programação baseado em parcerias nacionais e internacionais, o investimento de canais internacionais no país e o desenvolvimento dos produtores independentes no Brasil, o executivo levou a Globosat à liderança absoluta no país.

Leia abaixo a íntegra do comunicado interno distribuído hoje pela Globo:

Após 25 anos à frente da Globosat, construindo a maior programadora de TV por assinatura da América Latina, o diretor-geral Alberto Pecegueiro decidiu encerrar suas atividades executivas na empresa, em janeiro de 2020.

A vida profissional de Alberto se confunde com a história da TV paga no Brasil. Todos os movimentos relevantes da indústria, desde o seu nascedouro, contaram com a sua participação e liderança. Pecegueiro implementou o nosso modelo de programação baseado em parcerias nacionais e internacionais. Além de estimular a entrada e o investimento de canais internacionais no país, teve uma atuação relevante no desenvolvimento dos produtores independentes brasileiros e em diversos outros elos da cadeia de geração de conteúdo: não é por acaso que a TV paga brasileira é a que possui mais conteúdo nacional na sua programação no mundo ocidental, fora os Estados Unidos. A Globosat chegou a realizar parcerias com mais de 100 produtoras independentes. No esporte, os canais Globosat participam de forma significativa da cobertura esportiva dos mais importantes campeonatos nacionais e internacionais, criando também o formato pay-per-view a partir do Campeonato Brasileiro de 1998. Ao longo desses anos, os canais da Globosat e seus produtos originais receberam algumas das mais prestigiosas premiações da indústria. Tudo isso produziu a sólida liderança da Globosat, hoje com mais de 30 canais por assinatura, líder disparado de audiência no país. E conseguiu construir uma organização de 2.300 colaboradores engajados, competentes e que vibram pelo negócio. Uma equipe talentosa, que carrega a marca da informalidade e do bom humor do Alberto.

Em período mais recente, Alberto Pecegueiro participou, com sua energia e conhecimento, das reflexões e decisões sobre o futuro da Globo, tendo contribuição decisiva na formulação da nova estratégia de negócio e na discussão do nosso novo modelo organizacional, anunciado no último dia 8. Com inquestionável experiência acumulada no lançamento de canais próprios e na formação das quatro ‘joint ventures’ da qual fazemos parte – Telecine, com a Fox, MGM, Paramount e Universal; Canal Brasil, com alguns dos maiores produtores do cinema brasileiro; Universal, com o grupo Comcast/NBC Universal; além de uma empresa de conteúdos adultos com o grupo Claxson -, Alberto foi sempre o nosso olhar atento para os grandes movimentos da mídia do mundo, tendo tecido ao longo desses anos uma rica rede de relacionamentos e amizades na nossa indústria.

Será para nós uma perda não ter Alberto na equipe de liderança executiva da Globo de janeiro em diante. Mas ficamos felizes de continuar contando com sua colaboração em outro formato, como nosso representante nos conselhos de administração das quatro ‘joint ventures’ da qual fazemos parte, e no apoio às negociações com nossos parceiros de distribuição.

Para Alberto, nossos mais sinceros agradecimentos por todos os anos de dedicação e parceria. E que esta nova etapa, que se inicia a partir do próximo ano, seja tão prazerosa quanto a que nos trouxe até aqui.

Roberto Irineu Marinho – Presidente do Conselho de Administração

Jorge Nóbrega – Presidente-executivo

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Pitching

Testes comprovam a viabilidade técnica da convivência entre o 5G e antenas parabólicas

Relatório da Fundação CPqD, com base nos testes da Anatel, atesta que é possível eliminar totalmente as interferências com a utilização de dispositivos de nova geração e soluções economicamente viáveis

Publicado

em

Foto: Gilles Rolland-Monnet / Unsplash

O SindiTelebrasil informa que apresentou hoje ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) o resultado dos testes realizados pela Fundação CPqD, com base nos testes da Anatel, que comprovam a viabilidade técnica da convivência entre o 5G, na faixa de 3,5 GHz, e os sinais de televisão transmitidos via satélite pela Banda C (TVRO).

De acordo com o comunicado distribuído hoje ao mercado, e citando o CPqD, é possível eliminar totalmente as interferências com a utilização de dispositivos, denominados LNBF’s de nova geração, a serem instalados na recepção dos sinais de TVRO, na residência do usuário. As operadoras entendem que esse trabalho é complementar ao realizado pela Anatel em maio de 2019 porque os LNBF’s testados agora não existiam à época.

Durante os ensaios de laboratório e a avaliação de campo, foram testados oito novos LNBF’s, de quatro fornecedores, e três deles eliminaram 100% da interferência, mesmo nos cenários mais críticos. “Três dos quais foram capazes de eliminar totalmente a interferência do sinal na banda adjacente, avaliados no Cenário Anatel, sem a necessidade de redução na potência transmitida pelo 5G”, diz o CPqD no relatório.

O objetivo dos testes do CPqD foi de encontrar uma solução para os problemas de convivência apontados nos testes realizados anteriormente pela Anatel, que indicavam eventuais casos de interferência nas situações mais críticas. Com isso, explica o CPqD, os fabricantes fizeram aprimoramentos. “Esse marco foi determinante para o surgimento de uma nova geração de LNBF’s”, diz o relatório.

As conclusões do CPqD reforçam, portanto, o entendimento de que é desnecessária a migração de toda infraestrutura de TVRO para a banda Ku, o que traria uma complexidade desproporcional e um elevado impacto financeiro, com consequências negativas para o desenvolvimento da tecnologia 5G no Brasil.

Além de representar um impacto financeiro muito menor e uma maior facilidade de operacionalização, a utilização dos novos LNBF’s de nova geração garante o uso eficiente dos recursos públicos em benefício da sociedade.

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Trending