Siga-nos nas Redes Sociais

Releases 3 MIN DE LEITURA

26% dos pacientes de São Paulo se informam sobre câncer de pulmão na internet

Pesquisa realizada pelo Datafolha mostra que 44% da população do Sudeste se considera bem informada a respeito do câncer de pulmão e 68% acredita que é fácil descobrir a doença ainda no início

Publicado

em

Foto: Marek Levák / Unsplash

Pesquisa realizada pelo Datafolha mostra que 26% dos pacientes de São Paulo se informam sobre câncer de pulmão na internet e que 43% destes pacientes deixaram seus cargos em decorrência das complicações causadas pela doença, sejam físicas ou emocionais, ficando atrás do Distrito Federal com 44%1.

Segundo comunicado distribuído à imprensa publicado aqui na íntegra, a desinformação entre os pacientes preocupa. Com média de idade de 57 anos na data do diagnóstico, 36% dos pacientes de São Paulo não sabem em qual estágio a doença foi descoberta e cerca de 15% dos pacientes paulistanos só obtiveram o diagnóstico depois de um ano com a doença. Estima-se que, mesmo que com 68% dos diagnosticados de São Paulo contem com o apoio da família, 62% alega ter enfrentado momentos de tristeza profunda, medo da morte, perda de esperança ou quadros depressivos. Nos aspectos físicos, respiração ofegante é o principal sintoma, seguido por cansaço ou fraqueza e tosse persistente¹. Além disso, a minoria conhece tratamentos inovadores, como a terapia-alvo e imunoterapia, somente 9% e 24%, respectivamente.

O câncer de pulmão está entre as doenças mais graves causadas pelo cigarro, porém ele também pode causar tumores na boca, laringe, faringe, estômago, pâncreas, rim, colo de útero e bexiga. “A melhor maneira de controlar as doenças e os impactos negativos à saúde causados pelo cigarro é parar de fumar”, afirma Dr. Fernando Santini, oncologista e membro do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida.

Apesar de não ser o único fator de risco – já que a exposição à poluição do ar ou agentes químicos, inalação de poeira e fatores genéticos sejam fortes causadores -, o tabagismo é o principal causador do câncer de pulmão¹. O fato é reconhecido por 74% da população do sudeste e 70% dos pacientes do São Paulo¹. Além disso, 91% da população paulistana entende que o fumante passivo também é prejudicado¹.

Apesar dessas constatações, estima-se que cerca de 16 milhões de pessoas do Sudeste ainda são fumantes e 24 milhões moram com alguém que possui hábitos tabagistas.1 Assim, tornando ainda maior a população que está mais suscetível a desenvolver câncer de pulmão.

Para Marlene Oliveira, presidente e fundadora do Instituto Lado a Lado pela Vida, o desconhecimento ainda é uma barreira na descoberta e consequente cura do câncer de pulmão. “A maioria da população não está familiarizada com o assunto e, por isso, não é capaz de reconhecer os sintomas – que são muito sutis. Por isso, as pessoas não se preocupam em realizar exames periódicos para detecção da doença, que age silenciosamente e pode ser fatal”, diz ela.

Destaques da pesquisa:

• 26% dos pacientes de São Paulo se informam sobre a doença na internet.

• 44% da população do Sudeste se considera bem informada a respeito do câncer de pulmão e 68% acredita que é fácil descobrir a doença ainda no início – o que contradiz a realidade, sendo que apenas um terço dos casos é diagnosticado no 1º estágio

• A quimioterapia é o tratamento mais conhecido entre os pacientes de São Paulo com 98% de identificação, seguido pela radioterapia com 84%. Eles estão sendo ou foram utilizados por 72% e 42% dos pacientes, respectivamente.

• 20% das pessoas do Sudeste, cerca de cerca de 16 milhões de pessoas, declaram ter ou já ter tido um parente com câncer de pulmão.

• 49% dos pacientes de São Paulo foram diagnosticados por oncologistas, 15% por pneumologistas, 12% por cirurgiões torácicos e 4% por clínicos gerais.

• Em São Paulo, o maior índice de diagnósticos está na faixa etária de 51 a 60 anos, que corresponde a 34%. Seguido por 61 e 70 anos, com 25% dos diagnósticos. A menor taxa é após os 81 com 2%.

• 91% da população do Sudeste defende que o tabagismo é o principal fator causador da doença, e 70% dos pacientes de São Paulo estão de acordo com essa afirmação. Além disso, 94% da população da região concorda que fumantes passivos também podem ser afetados.

• O Sudeste conta com 16 milhões de fumantes e 24 milhões de pessoas moram com alguém que possui hábitos tabagistas.

• Na capital paulista, os médicos são a principal fonte de informação (59%), seguidos pela internet (26%). O INCA é a principal fonte para apenas 2%.

• 11% dos pacientes brasileiros alegam não se informar a respeito da doença.

A pesquisa foi encomendada ao Datafolha pela biofarmacêutica AstraZeneca do Brasil, com apoio do Instituto Lado a Lado, que compartilhou a pesquisa com a imprensa, incluindo o Jornal 140.

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.

Os artigos publicados em nome da Redação 140 são de responsabilidade dos responsáveis por este site de notícias. Entre em contato caso tenha alguma observação em relação às informações aqui contidas.

Continuar Lendo

Escreva um Comentário

Releases 3 MIN DE LEITURA

Smart Cities: Evento discute as cidades conectadas

Especialistas apresentam as novas tecnologias e soluções que vão revolucionar as cidades em todo o mundo nas áreas de mobilidade, análise de dados, conectividade e integração

Publicado

em

Foto: Divulgação

A iniciativa que mais gera resultados para o mercado de cidades inteligentes do país está na 6ª edição e agenda confirmada para 2020 e, mais uma vez, será realizada na capital paulista.

Um evento que apresenta e discute como as novas tecnologias podem melhorar a vida e a gestão nas cidades. Esta é a proposta do Connected Smart Cities 2020 evento que será realizado este ano em S. Paulo nos dias 9 e 10 de setembro, no Centro de Convenções Frei Caneca

Especialistas de diversas áreas mostrarão a evolução da implementação das soluções e ferramentas para o mercado de “cidades inteligentes” no Brasil; os principais dados e resumos serão publicados em uma Plataforma que estará disponível a todos.

Segundo o comunicado recebido pelo Jornal 140, e que publicamos na íntegra, o site do CSC foi reestruturado para atender as novas funcionalidades, contemplando novos serviços voltados para o desenvolvimento de smart cities.

Com a nova estrutura, a Plataforma passa a atuar, além do Ranking Connected Smart Cities, único estudo no país focado nas cidades e que serve de base para os municípios melhorarem seus indicadores; o Prêmio, dedicado aos negócios inovadores e voltado às necessidades do cidadão; Blog: Canal colaborativo e de conteúdos relevantes sobre o futuro das cidades; o Evento Nacional, fundamental para o mercado de smart cities; e o Learn Connected Smart Cities, iniciativa inovadora e imersiva sobre smart cities e que oferece cursos online para públicos de interesse.

“Desde que iniciamos o trabalho do Connected Smart Cities, em 2015, temos cumprido o nosso objetivo de contribuir de forma decisiva com o desenvolvimento do mercado de cidades inteligentes no Brasil. E com o amadurecimento desse setor e as novas necessidades, incorporamos novas ferramentas, serviços e tecnologias à Plataforma e, assim, nos tornamos a mais completa iniciativa deste mercado, viabilizando informações, estratégias e intercâmbio entre os diferentes atores. O resultado desse trabalho pode ser acompanhado nas diversas regiões do país, por meio da implementação de iniciativas em diversos municípios”, comenta a idealizadora da Plataforma Connected Smart Cities, Paula Faria.

A especialista em cidades inteligentes destaca ainda que, com o objetivo de engajar ainda mais os diferentes atores, apresentar e destacar as iniciativas nesse setor, a Plataforma passa a produzir conteúdo. “A partir desse ano, passaremos a disponibilizar conteúdo de qualidade e, assim, gerar conexão e intercâmbio e fortalecer as boas práticas dos municípios nesse mercado”, enfatiza Paula Faria.

EDIÇÃO 2020 – EVENTO NACIONAL

A expectativa da organização é que, em 2020, o evento- juntamente com o Connected SmartMobility, que acontece paralelo, supere os 2.300 participantes de 2019, além das cerca de 250 palestrantes, mais de 500 empresas e Reuniões de Negócios, por meio da plataforma inovadora de Speed-Dating. A 5ª quinta edição reuniu os diversos agentes relacionados aos governos, empresas e entidades nacionais e internacionais, com destaque para a presença de cerca de 300 prefeituras.

“Vamos manter todas as iniciativas inovadoras incorporadas na edição 2019, como o formato inovador e as novas tecnologias para as cidades e mobilidade, principalmente, onde se destacaram, ainda, a participação de cerca de 150 palestrantes nos 90 painéis, com apresentações simultâneas em 12 palcos. Também vamos incorporar novas ferramentas para esse mercado, dobrar o número de prefeituras participantes e atingir 600 municípios presentes no evento, além de somar mais de 3 mil participantes. Sem dúvida, teremos em 2020 a maior edição do evento”, disse.

EVENTO PARALELO

Connected Smart Mobility 2019 – Crédito: Divulgação

Paralelo ao CSC 2020, acontece a 2ª edição do CSM – Connected Smart Mobility, A Revolução da Mobilidade Urbana, que irá debater e apresentar os melhores cases para a transformação da mobilidade no país. O evento também conta com organização da Sator. Mais informações: www.connectedsmartmobility.com.br

Serviço
Connected Smart Cities — Evento Nacional
Data: 09 e 10 de setembro de 2020
Local: Centro de Convenções Frei Caneca, Rua Frei Caneca, 569, Consolação, São Paulo/SP
Mais informações: www.connectedsmartcities.com.br

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Releases 1 MIN DE LEITURA

Vídeo da marca Galinha Pintadinha tem 1 bilhão de visualizações no YouTube

Segundo a própria empresa, vídeo Upa Cavalinho! ultrapassa Annita e Marília Mendonça

Publicado

em

Foto: Divulgação

O vídeo Upa Cavalinho!, da Galinha Pintadinha alcançou 1 bilhão de visualizações no YouTube pela segunda vez em sua história e segundo comunicado envido pela empresa ao Jornal 140 e ultrapassou artistas recordistas nas redes sociais como Annita e Marília Mendonça.

O vídeo segue a linha editorial do canal da marca no YouTube e é direcionado a crianças de até seis anos de idade de todo o mundo. Além das canções e videoclipes, a personagem possui centenas de produtos licenciados desde brinquedos, materiais escolares, até roupas e produtos de higiene baby como fraldas.

“Estamos muito felizes com mais esse recorde da Galinha. Esse é o nosso primeiro vídeo do canal brasileiro da Galinha Pintadinha a bater 1 bilhão de views. O primeiro vídeo a bater esse recorde foi Pollito Amarillito, a versão em espanhol de Pintinho Amarelinho no canal em espanhol. O mais louco é que alcançou essa marca em apenas dois anos. Onde vou, eu escuto pais, vovós e crianças cantarolando a música. É um barato ver que essa composição nova já entrou no repertório infantil. ”, comemora Marcos Luporini, um dos criadores da personagem.

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.
Continuar Lendo

Trending

  • Registrar
ou entre com
Lost your password? Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.