Siga-nos nas Redes Sociais

Eleições 2 MIN DE LEITURA

Cambridge Analytica: Novo vazamento aponta eleições manipuladas no Brasil

Novo vazamento com mais de 100 mil documentos relata o trabalho da empresa em 68 países, a fim de manipular as eleições – incluindo o Brasil.

Publicado

em

Foto: The Great Hack / Netflix

Desde o primeiro dia do ano, o perfil @hindsightfiles publicou no Twitter um fluxo constante de links com documentos vazados da Cambridge Analytica, revelando o trabalho da empresa na manipulação de eleições para candidatos em todo o mundo. Ao todo, 68 países incluindo Malásia, Quênia e Brasil.

Os documentos – e-mails e arquivos de trabalho – vieram de Brittany Kaiser, denunciante que trabalhou na Cambridge Analytica e fez aparições notáveis ​​no documentário Privacidade Hackeada, da Netflix. Segundo Kaiser, os documentos revelam os principais doadores de Donald Trump discutindo planos de lavagem e anonimato de gastos políticos ilegais, e também como a Cambridge Analytica sistematizou essas técnicas para gastar dinheiro obscuro em outros lugares, inclusive no Reino Unido durante a campanha do Brexit.

Brittany Kaiser disse que o escândalo de dados do Facebook fazia parte de uma operação global muito maior que trabalhou com governos, agências de inteligência, empresas comerciais e campanhas políticas para manipular e influenciar pessoas, e que levantou enormes implicações de segurança nacional.

Sobre o Brasil, um documento aponta que a Cambridge Analytica teria como alvo a classe média insatisfeita do país. Para direcionar propagandas políticas para esse público-alvo, a Cambridge Analytica criou formas para levantar 7.000 pontos de dados dos indivíduos que seriam impactados pelas campanhas.

Pontos de dados são conjuntos de informações como idade, região, hábitos de consumo, religião, gênero e alinhamento político. Segundo o documento, o levantamento seria feito a partir do cruzamento de dados de plataformas digitais, especialmente o Facebook e o WhatsApp, e dados do IBGE.

“As pesquisas indicam que há uma frustração dos eleitores com candidatos tradicionais e o desejo por um outsider”, diz um trecho do relatório. “A classe média brasileira é creditada como sendo a força popular por trás dos protestos de 2013, e o Nordeste tem um alinhamento forte com Lula e o Partido dos Trabalhadores. Se os métodos da CA (Cambridge Analytica) forem eficazes, a situação política do Brasil pode ser chacoalhada”, afirma outro trecho.

Um trecho específico diz que “O WhatsApp é muito importante no Brasil, por ser uma das principais plataformas de comunicação e de interação social”. Segundo o documento, em 2016 a Cambridge Analytica teria feito um projeto piloto no Amapá para obter uma amostra do potencial do país como um todo. Detalhes de como essa operação teria se dado não estão presentes no relatório.

No final do ano passado, o WhatsApp admitiu que a plataforma foi usada para para disparo massivo de mensagens políticas durante as eleições de 2018.

*O Jornal 140 não se responsabiliza pela opinião dos autores deste coletivo.

Os artigos publicados em nome da Redação 140 são de responsabilidade dos responsáveis por este site de notícias. Entre em contato caso tenha alguma observação em relação às informações aqui contidas.

Trending

  • Registrar
ou entre com
Lost your password? Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.